Em função das altas vazões observadas na bacia do rio São Francisco e tendo em vista a operação para controle de cheias em reservatórios, o Departamento Estadual de Proteção e Defesa Civil (Depec) e o Superintendente Especial de Recursos Hídricos e Meio Ambiente, Ailton Rocha, representando a Secretaria de Estado do Desenvolvimento Urbano e Sustentabilidade (Sedurbs), participaram da primeira reunião da Sala de Crise da cheia na bacia do rio São Francisco, realizada pela Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico (ANA) a Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico (ANA), que ocorreu na manhã desta terça-feira, 25.


Durante a reunião, observou-se uma diminuição bastante acentuada das precipitações nos últimos 15 dias, bem como chegou-se a um consenso de que há uma previsão de estabilização da vazão, tornando claro de que os volumes estão retornando ao volume de espera, e há uma indicação de queda, visto que nenhuma das previsões sazonais estão indicando um aumento expressivo das chuvas acima da média para as próximas semanas. A gerente de planejamento e gestão de risco do Depec, Capitã Emanuela Cruz esclareceu pontos sobre as ações em andamento. “O controle da defluência do rio permanece sendo estudado e revisado, visto que esse é um processo dinâmico e está relacionado ao índice pluviométrico ao longo da Bacia do São Francisco. Seguimos com o monitoramento e qualquer alteração prevista pelos órgãos competentes, iremos avisar antecipadamente à população.”.


Todo o trabalho está sendo realizado com o objetivo de proteger as pessoas e bens patrimoniais, bem como garantir a segurança energética e hídrica, com o preenchimento dos reservatórios para o enfrentamento do período de seca.
Ainda na reunião, o superintendente especial, Ailton Rocha, pontuou sobre as ações desenvolvidas pelo Estado de Sergipe. “Vale ressaltar que desde 2012, por conta dos efeitos da seca foi criado uma sala de acompanhamento da situação da operação do reservatório e seguimos em constante monitoramento. Vale destacar o trabalho da Defesa Civil do Estado de Sergipe e municípios que emitiram o alerta para a população ribeirinha e estiveram no local antecipadamente passando as orientações, desocupando casas ribeirinhas, reduzindo os danos causados pela cheia, que foi limitado a danos de bens de imóveis e seguimos com o monitoramento e ações conjuntas para minimizar e antecipar a população”, frisou Ailton Rocha.

Última atualização: 25 de janeiro de 2022, 16:30 PM