O Instituto Parreiras Horta-Lacen, um dos mais antigos patrimônios históricos do Estado, passará por reforma e recuperação para construção do Memorial de Medicina Sergipana, conduzido pela Sociedade Médica de Sergipe (Somese). Os primeiros passos foram discutidos em reunião, com o secretário de Estado e Desenvolvimento Urbano e Sustentabilidade, Ubirajara Barreto e representantes da Academia Sergipana de Medicina e da Sociedade Brasileira de Médicos Escritores (Sobrames).

Na ocasião, foram discutidos as questões orçamentárias, a apresentação do projeto e as necessidades para a obra pública. Segundo Ubirajara Barreto, o prédio está fechado há um tempo, e a reunião teve como objetivo firmar os primeiros passos para a reforma e restauração do Instituto Parreiras Horta – Lacen. “O projeto já foi apresentado e, diante disso, o próximo passo será o processo administrativo formal, com a abertura da licitação. Tudo isso servirá como pontapé inicial, visto que esse que o Memorial beneficiará uma parte da história do nosso Estado”, detalhou.

Criado por meio da Lei nº 836 de 14 de novembro de 1992, o Instituto Parreiras Horta foi inaugurado em 5 de maio de 1924, com o objetivo de completar a nova estrutura de saúde pública estado, destacando-se na contribuição para o exercício da medicina científica em Sergipe. As ações tiveram início com criação de duas emendas parlamentares.

O Secretário de Estado e Desenvolvimento Urbano e Sustentabilidade, Ubirajara Barreto, ainda agradeceu aos envolvidos nessa empreitada, o arquiteto Rui Almeida, os técnicos da Sedurbs Débora, Miriany e Bárbara, o coordenador da área de captação de recursos da Secretaria de Estado do Planejamento, Carlos Américo, o Coordenador de Patrimônio Cultural da Funcap, Alan Rios e os confrades Roberto César e aos Presidentes da Somese, José Hamilton e Paulo Amado.

Histórico

Em 14 de novembro de 1992, época de sua função, o Instituto tinha como principais atribuições, o preparo e a distribuição das vacinas antivariólica e antirrábica. Realizava o tratamento das pessoas mordidas por animais suspeitos de raiva e ao exame bacteriológico. Ainda possuía laboratório de análise clínica, bacteriológica e química, além de funcionar também como um centro de pesquisas médicas. O início da construção, em 23 de julho de 1923, repercutiu de maneira favorável na área médica e sociedade sergipana, pois foi através de fundação que houve a abertura de portas para o padrão do atendimento da saúde da população, através dos exames de laboratório, contribuindo concretamente para o exercício da medicina científica em Sergipe.

Fotos



Última atualização: 5 de março de 2020, 10:03 AM